#ParaRefletir Métodos de comunicação entre gerações

Seja no trabalho ou nos simples cenários do dia a dia, em grandes escritórios e reuniões complexas, ou na sala de casa em um bate papo descontraído, a comunicação se faz presente. Está sempre ali, tão corriqueira como o ar que respiramos, e mal nos atentamos para o verdadeiro peso que tem em todas as nossas relações sociais.

O que também não é novidade é que a comunicação, de forma crua e evidente, é o que conduz a verdadeira dinâmica do mundo moderno. Quando bem construída, se torna um belo mecanismo para encontros, conexões, resoluções e, naturalmente, evoluções. Agora, quando vai mal… Leva toda a culpa pela sucessão de mal entendidos que a vida pode proporcionar.

Na complexidade de um mundo dividido entre gerações cheias de personalidade e com cargas de experiência e vivência únicas e particulares, não podemos deixar de aplaudir o sucesso da comunicação em dançar conforme a música para se adequar aos novos tempos e demandas que surgem e andam lado a lado com a tecnologia para, de maneira perspicaz, conseguir atender a todos os perfis com eficiência.

Falando em fatos, a maneira que os métodos de comunicação entre gerações mudaram ao longo dos anos é uma verdadeira aula de história, conhecimento, inovação, destreza e, acima de tudo, adaptabilidade. Mais uma prova do bom desempenho dos comunicólogos ao redor do mundo em compreender de onde vieram e para onde vão os hábitos de como fazer e para quem fazer a comunicação.

Longe de gerar uma discussão de bom/ruim, melhor/pior, esse é apenas um gancho #ParaRefletir em como padrões e hábitos considerados absolutos podem sofrer mutações e, acima disso, em tudo que podemos aprender apenas observando o contraste entre os costumes e práticas entre as gerações. Mesmo que “apenas” na forma de se comunicar.